De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica, a ANEEL, a bandeira tarifária das contas de energia em agosto será vermelha. Esta mudança foi necessária porque o custo de geração da energia elétrica aumentou. Isto porque quando chove menos, os reservatórios das hidrelétricas ficam mais vazios e é preciso acionar mais termelétricas para garantir o suprimento de energia no país. É o que explica o diretor da ANEEL, André Pepitone.

"A cada 100 quilowatts-hora de consumo será acrescido R$ 3 para custear as térmicas, porque ficou mais caro operar o sistema elétrico em função da ausência de água, de um cenário hidrológico desfavorável. E para operar a termelétrica, temos que pagar o combustível."

Para o professor de Engenharia Elétrica da Universidade de Brasília, Marco Antônio Freitas do Egito Coelho, a bandeira vermelha, patamar 1, é uma sinalização preocupante.

"Este nível 1 significa que já é alguma coisa preocupante, o nível está muito baixo, a gente pode ter um problema de geração de energia. Se você passar para outros níveis...2... a coisa fica mais grave ainda."

De acordo com André Pepitone, com este ajuste, é preciso que os consumidores usem a energia de maneira consciente para evitar desperdícios.

"A gente recomenda que tome banhos mais curtos, que selecione a temperatura do chuveiro morna do verão. Ao se usar o ar condicionado em um ambiente, não deixar a porta aberta, janela aberta e manter os filtros do ar condicionado limpo, isto é importante. Temos que deixar a porta da geladeira aberta o menor tempo necessário, temos que regular a temperatura interna de acordo com o manual de instrução, para uso eficiente desse equipamento e, pessoal, nunca colocar o alimento quente dentro da geladeira; isto faz com que se consuma mais energia."

Para mais informações, acesse www.aneel.gov.br.

Fonte: Agência do Rádio/Reportagem, Cintia Moreira.