Ao Vivo
 
 
Siga ao vivo

Geral

CONSUMIDOR: Bandeira tarifária das contas de luz de agosto será vermelha

CONSUMIDOR: Bandeira tarifária das contas de luz de agosto será vermelha

De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica, a ANEEL, a bandeira tarifária das contas de energia em agosto será vermelha. Esta mudança foi necessária porque o custo de geração da energia elétrica aumentou. Isto porque quando chove menos, os reservatórios das hidrelétricas ficam mais vazios e é preciso acionar mais termelétricas para garantir o suprimento de energia no país. É o que explica o diretor da ANEEL, André Pepitone. "A cada 100 quilowatts-hora de consumo será acrescido R$ 3 para custear as térmicas, porque ficou mais caro operar o sistema elétrico em função da ausência de água, de um cenário hidrológico desfavorável. E para operar a termelétrica, temos que pagar o combustível." Para o professor de Engenharia Elétrica da Universidade de Brasília, Marco Antônio Freitas do Egito Coelho, a bandeira vermelha, patamar 1, é uma sinalização preocupante. "Este nível 1 significa que já é alguma coisa preocupante, o nível está muito baixo, a gente pode ter um problema de geração de energia. Se você passar para outros níveis...2... a coisa fica mais grave ainda." De acordo com André Pepitone, com este ajuste, é preciso que os consumidores usem a energia de maneira consciente para evitar desperdícios. "A gente recomenda que tome banhos mais curtos, que selecione a temperatura do chuveiro morna do verão. Ao se usar o ar condicionado em um ambiente, não deixar a porta aberta, janela aberta e manter os filtros do ar condicionado limpo, isto é importante. Temos que deixar a porta da geladeira aberta o menor tempo necessário, temos que regular a temperatura interna de acordo com o manual de instrução, para uso eficiente desse equipamento e, pessoal, nunca colocar o alimento quente dentro da geladeira; isto faz com que se consuma mais energia." Para mais informações, acesse www.aneel.gov.br. Fonte: Agência do Rádio/Reportagem, Cintia Moreira.
Dez estados vão participar de estratégia para reduzir mortalidade neonatal

Dez estados vão participar de estratégia para reduzir mortalidade neonatal

Uma nova estratégia do Ministério da Saúde vai tentar reduzir as mortes de recém-nascidos e melhorar a qualificação das maternidades que acolhem esses bebês. A iniciativa vai contemplar nove estados que concentram as maiores taxas de mortalidade neonatal no país: Amapá, Amazonas, Bahia, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Piauí, Roraima e Sergipe. Além disso, o Ceará vai fazer parte do grupo porque possui um centro de referência da Rede Cegonha, que é uma importante estratégia relacionada a esse projeto. A medida prevê a redução da mortalidade nos primeiros 28 dias de vida e o aumento na taxa de aleitamento materno. A diretora de Ações Programáticas e Estratégicas do Ministério da Saúde, Thereza de Lamare, explica que, para garantir o melhor início de vida ao recém-nascido, é preciso oferecer apoio técnico e capacitação de profissionais. “O objetivo dessa estratégia é fortalecer as ações que já vêm sendo implementadas na saúde da criança, especialmente depois da publicação da portaria que instituiu a Política de Atenção Integral à Saúde da Criança. Então o nosso objetivo é fazer uma integração das ações que estão voltadas diretamente a Atenção Neonatal. Fazer uma ação integrada junto às maternidades que têm maior número de óbitos neonatais em 10 estados para que a gente possa fazer um apoio sistemático a esses profissionais de saúde”. A iniciativa, chamada de QualiNEO, será desenvolvida até julho de 2019 nas maternidades selecionadas. Ao final desse período, o Ministério da Saúde vai entregar um selo de qualidade às instituições que, além de integrar a estratégia, também conquistarem melhoras nos atendimentos. Para mais informações acesse www.saude.gov.br. Fonte: Agência do Rádio/Reportagem, Janary Damacena.