Após a votação que livrou Michel Temer da denúncia por corrupção passiva e barrou a investigação no Supremo Tribunal Federal, o presidente da República fez um pronunciamento em rede nacional e disse que esta foi uma conquista do estado democrático de direito.

"A decisão soberana do parlamento não é uma vitória pessoal de quem quer que seja, mas é uma conquista do estado democrático de direito, da força das instituições e da própria Constituição. Eu posso dizer que agora seguiremos em frente com as ações necessárias para concluir o trabalho que meu governo começou convenhamos a pouco mais de um ano."

No total, 493 dos 513 deputados votaram, onde 263 parlamentares votaram "sim" e concordaram com o parecer de Abi-Ackel, do PSDB de Minas Gerais, contrário a instauração do processo criminal. Duzentos e vinte e sete deputados e deputadas votaram “não” e foram favoráveis para que Temer fosse investigado pelo Supremo. Na votação, também tiveram duas abstenções, sem contar a do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que se absteve pelo fato de estar comandando a sessão. Lembrando que esta foi a primeira vez que a Câmara dos Deputados votou uma solicitação para instauração de processo contra um presidente da República. No final do seu pronunciamento, Temer agradeceu o apoio que teve da Câmara dos Deputados.

"Eu quero agradecer a Câmara dos Deputados por sua decisão e a todos os brasileiros e brasileiras de boa vontade que acreditaram em nosso país. Vamos trabalhar, juntos, pelo Brasil."

Agora, com esta decisão, o STF não pode analisar a denúncia contra o presidente apresentada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, no final de junho. O presidente só poderá responder judicialmente após o término do mandato. A votação nominal do parecer teve início por volta de 18h20 e terminou às 21h51.

Agência do Rádio/Reportagem, Cintia Moreira.