O ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, determinou que a votação desta terça-feira (17), que poderá revogar ou não o afastamento do senador mineiro Aécio Neves, seja feita de forma aberta e nominal. A decisão aconteceu depois que Moraes acolheu o mandado de segurança feito pelo senador Randolfe Rodrigues, da Rede do Amapá.

Segundo Moraes, a votação neste modelo é a única que condiz com a soberania popular no julgamento de agentes políticos. Confira a decisão do ministro na íntegra neste link.

MAIS: Não foi o STF que criou as imunidades parlamentares, diz Alexandre de Moraes

Os senadores também vão votar sobre a decisão da Primeira Turma do STF que determina o recolhimento domiciliar noturno de Aécio Neves.

Caso a decisão da Primeira Turma seja derrubada, o tucano poderá retomar as atividades parlamentares normalmente, para isso será necessária votação da maioria absoluta do plenário, com pelo menos 41 votos contra.

O senador tucano é acusado de corrupção e obstrução de justiça pelo pedido e recebimento de R$ 2 milhões da JBS. Aécio também é acusado de atuar no Senado e no Executivo com o intuito de dificultar as investigações da operação Lava Jato.

Agência do Rádio/Reportagem, Raphael Costa