Aparecida (RV) - Na manhã de 24 de julho de 2013, 4 anos atrás, o Papa Francisco presidiu a celebração eucarística no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, no âmbito de sua viagem apostólica ao Rio de Janeiro por ocasião da 28ª Jornada Mundial da Juventude.

Antes da missa, o Pontífice venerou a Imagem da Virgem de Aparecida na Sala dos 12 Apóstolos do Santuário Nacional.

Vamos recordar alguns trechos da homilia do Papa Francisco que começou assim:

“Quanta alegria me dá vir à casa da Mãe de cada brasileiro, o Santuário de Nossa Senhora Aparecida. No dia seguinte à minha eleição como Bispo de Roma fui visitar a Basílica de Santa Maria Maior, para confiar a Nossa Senhora o meu ministério. Hoje, eu quis vir aqui para suplicar à Maria, nossa Mãe, o bom êxito da Jornada Mundial da Juventude e colocar aos seus pés a vida do povo latino-americano.”

A seguir, o Papa recordou que no Santuário Nacional de Nossa  Senhora Aparecida realizou-se, em 2007, a V Conferência Geral do Episcopado da América Latina e do Caribe.

“Aquela Conferência foi um grande momento de vida de Igreja. E, de fato, pode-se dizer que o Documento de Aparecida nasceu justamente deste encontro entre os trabalhos dos Pastores e a fé simples dos romeiros, sob a proteção maternal de Maria. A Igreja, quando busca Cristo, bate sempre à casa da Mãe e pede: ‘Mostrai-nos Jesus’. É de Maria que se aprende o verdadeiro discipulado.” 

“Assim, de cara à Jornada Mundial da Juventude que me trouxe até o Brasil, também eu venho hoje bater à porta da casa de Maria, que amou e educou Jesus, para que ajude a todos nós, os Pastores do Povo de Deus, aos pais e aos educadores, a transmitir aos nossos jovens os valores que farão deles construtores de um País e de um mundo mais justo, solidário e fraterno.”

A seguir, o Papa chamou a atenção para três posturas que o cristão deve ter. A primeira, conservar a esperança.

“Quantas dificuldades na vida de cada um, no nosso povo, nas nossas comunidades, mas, por maiores que possam parecer, Deus nunca deixa que sejamos submergidos. Frente ao desânimo que poderia aparecer na vida, em quem trabalha na evangelização ou em quem se esforça por viver a fé como pai e mãe de família, quero dizer com força: Tenham sempre no coração esta certeza! Deus caminha a seu lado, nunca lhes deixa desamparados! Nunca percamos a esperança!” 

Sobre a segunda postura, deixar-se surpreender por Deus, o Papa disse:
“A história deste Santuário serve de exemplo: três pescadores, depois de um dia sem conseguir apanhar peixes, nas águas do Rio Parnaíba, encontram algo inesperado: uma imagem de Nossa Senhora da Conceição. Quem poderia imaginar que o lugar de uma pesca infrutífera, tornar-se-ia o lugar onde todos os brasileiros podem se sentir filhos de uma mesma Mãe? Deus sempre surpreende, como o vinho novo, no Evangelho que ouvimos. Deus sempre nos reserva o melhor.” 

Na terceira e última postura, viver na alegria, o Papa ressaltou:

“O cristão é alegre, nunca está triste. Deus nos acompanha. Temos uma Mãe que sempre intercede pela vida dos seus filhos, por nós, como a rainha Ester na primeira leitura. Jesus nos mostrou que a face de Deus é a de um Pai que nos ama.”
  (MJ)

Fonte: News.Va/(from Vatican Radio)